Para meditar

A Raposa e o Lenhador

Existiu um lenhador que acordava às 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, e só parava tarde da noite. Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança.

Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho.

Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada. Os vizinhos do lenhador alertavam que a raposa era um bicho, um animal selvagem; e portanto, não era confiável. Quando ela sentisse fome comeria a criança. O lenhador, sempre retrucando com os vizinhos, falava que isso era um grande disparate. A raposa era sua amiga e jamais faria isso. Os vizinhos insistiam:

- Lenhador abra os olhos! A raposa vai comer seu filho.

- Quando sentir fome, comerá seu filho!

Um dia o lenhador muito exausto do trabalho e muito cansado desses comentários, ao chegar em casa viu a raposa sorrindo como sempre e sua boca totalmente ensanguentada... O lenhador suou frio e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça da raposa... Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranquilamente e ao lado do berço uma cobra morta...

O lenhador enterrou o machado e a raposa juntos.

( Autor desconhecido )

Comentários

  1. Fiquei com um nó na garganta...

    Ás vezes, o facto de termos outros a encherem a nossa cabeça, leva-nos a cometer actos precipitados...

    É uma pena.

    ResponderEliminar
  2. Olá sara...

    sem dúvida... mas a fraqueza humana infelizmente é uma realidade e por vezes são necessárias histórias como esta para nos fazer parar para pensar. Fica uma pergunta...
    Será que confiamos nas pessoas que mais gostamos?

    obrigada pelo comentário.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. por isso sempre digo,nunca ir pela cabeça dos outros...

    ver para acreditar...

    as aparencias iludem........

    beijos

    ResponderEliminar
  4. e de que maneira amiga...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Anónimo00:25

    ora aqui está uma fábula que nos faz pensar... e bem!
    Aquilo que nos dizem nunca é a verdade absoluta, por mais fiel que pareça. A verdade é sempre diferente.
    Sejamos ao menos honestos e sinceros connosco próprios!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. um grande conselho Paulo. A nossa verdade é sem dúvida o que mais nos interessa.

    beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Obrigada pelo seu comentário.
A sua opinião é muito importante!!
Volte sempre... um abraço :)

Mensagens populares