FACEBOOK

Doce de Gila

Bate-se com a abóbora gila num tampo de pedra ou madeira. Com as mãos, retirar as sementes negras e a "tripa" que é a parte amarela e que lhe dá mau sabor.
Parte-se em pedaços (nunca se deve utilizar uma faca... esta operação deve ser feita somente com as mãos), lava-se muito bem até deixar de sair espuma e coze-se em água e sal.
A abóbora é cozida com a casca que depois se retira quando estiver cozida e fria. Com os dedos desfiam-se muito bem todos os pedaços da abóbora, deixando-os mergulhados em água fria durante umas horas ou se quiser pode deixá-la de molho de um dia para o outro.
Escorre-se a água sem espremer os fios da abóbora. Pesa-se, e num tacho, deita-se ao lume o mesmo peso de açúcar, um pau de canela, raspa de limão e água (não muita). Para 1kg de açúcar cerca de 1dl de água).
Quando a calda espessar um pouco, juntam-se os fios da abóbora, vai-se mexendo até a água evaporar e o doce espessar.
Tira-se as tampas dos frascos e levam-se ao lume com água (cobertos) deixando ferver cerca de 30 minutos.
Depois de fervidos enchem-se com o doce ainda quente e tapam-se em seguida. Colocam-se (tapados) em água a ferver até meio dos frascos e deixam-se ferver mais uns 15 minutos.
Retiram-se da água, tendo cuidado para não se queimarem pois nesta fase os recipientes ficam super quentes, e colocam-se em cima de um pano, virados de tampa para baixo até arrefecerem por completo.
Este processo todo faz com que o doce se conserve por muitos meses.
Tenho alguns doces que já têm mais de 1 ano e ainda estão óptimos para consumo.
Os frascos ficam fechados a vácuo e esterilizados.
Apesar deste doce levar algum tempo na sua confecção, valerá sempre a pena pela sua qualidade.
Recomendo a experimentarem. ;-)
Bjokas fofas

Photobucket

bem vind@ (letras pretas)